Pânico na Ressonância Magnética


Para alguns fazer uma ressonância magnética é uma realização de um exame como qualquer outro. Entretanto, para outros, é uma verdadeira cena de terror imaginar estar imóvel e deitado numa maca, dentro de um túnel fechado. Cerca de 5 % dos pacientes não chegam nem a agendar o exame em virtude desse medo.
Essas pessoas sentem taquicardia, sensação de fôlego curto, secura na boca, vertigens, náuseas, cólicas intestinais, abalos musculares, tremores e até medo de perder o controle, como se estivesse  enlouquecendo.
Esse ataque de pânico durante o exame de ressonância magnética aparece entre  5% e 10% das pessoas que realizam o procedimento. Alguns pacientes que sofrem desse ataque de ansiedade na ressonância magnética, durante o primeiro exame, desconheciam que tinham essa fobia.
Pessoas que precisam fazer o procedimento constantemente devem ser encaminhadas para o tratamento psiquiátrico da fobia. Pode associar também ao tratamento a possibilidade de fazer a ressonância magnética de campo aberto. Nesse aparelho o túnel é bem menos estreito, o que reduz a sensação de “aperto”. Mas deve ser discutida essa possibilidade de exame com o médico, devido a definição da imagem ser menor nesse aparelho.
O tratamento de fobia à ressonância magnética é com medicamentos que tratam a ansiedade (antidepressivos) e psicoterapia. Para alguns pacientes que precisam fazer o exame de urgência é preciso fazer um esquema de medicamentos com ansiolíticos, ou até a sedação, para a realização do procedimento.
O encaminhamento para o tratamento especializado com psiquiatra e psicólogo é importantíssimo para os futuros exames correrem sem sofrimento.

 

Se junte à conversa

4 comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Olá, tudo bem? Sou vestibulando de medicina. Sou uma pessoa que gosta muito de se dispor a ajudar as outras, podendo contribuir de qualquer forma para o bem-estar psíquico do próximo. Eis o que me faz decidir fazer a psiquiatria. Encontrei como uma grande inspiração o Augusto Cury, médico psiquiatra e psicoterapeuta. Pergunto-me como ele fez para aprofundar os estudos dele na parte comportamental, terapêutica do indivíduo, sendo psiquiatria uma área médica, focada mais em aspectos biológicos? Tenho pesquisado para saber mais sobre a biografia dele, mas lá não evidencia a respeito disso. Como ele fez a psicoterapia? É uma especialização de psiquiatria? Poderia me informar mais sobre essa área dentro da medicina? Interessei-me muito por ela. Estava decidindo antes entre psiquiatria e psicologia. Optei pela primeira, em função da minha curiosidade em estudar outras partes do corpo, fornecendo-me um conhecimento mais amplo, para depois focar na mente humana. Porém, não pretendo estudar somente a parte biológica, medicinal. Também gostaria de poder me aprofundar no comportamento humano, nas emoções, assim como o Augusto chegou a fazer, escrevendo vários livros relacionados a esse assunto. A maioria das pessoas ao mencionar a psiquiatria, fala sobre transtornos, esquizofrenia, coisas similares… Queria saber mais sobre psicoterapia. Poderia me esclarecer essa dúvida? Obrigado.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: