CRM Alerta Pacientes: Seu Médico Especialista tem RQE?

Autora: Elizabete Possidente

RQE (Registro de Qualificação de Especialista) tem grande importância para o médico, que deseja se especializar em alguma área como Psiquiatria, Dermatologia etc. Além do CRM, que comprova a formação do médico como generalista registrado, é necessário possuir o registro profissional que certifica aptidão para exercer uma especialidade.

Para o médico se tornar um especialista ele precisa de experiências e qualificações adicionais, além da aprovação em prova de título ou conclusão de residência médica, que comprova que ele concluiu com sucesso essa formação específica. Quando o médico passa pelo curso de residência médica ou obtém aprovação na prova da especialidade desejada ele automaticamente o RQE pelo CRM. Por exemplo, caso o médico não tenha cursado uma residência médica e tenha realizado um curso de pós-graduação, ele não tem o direito de ser chamado de especialista. Para isso, além do curso, ele precisa passar na prova de especialista, só então tem direito ao título e ao registro do seu RQE.

Para saber se o médico possui regularmente o título que ele afirma ter (se ele está devidamente cadastrado como especialista na área em que atua) basta acessar o site do Conselho Regional de Medicina no endereço https://www.cremerj.org.br/ e usar a opção ´Encontre Médico / Empresa`, preenchendo com o CRM do médico. Lá você conseguirá essas informações.

Janeiro Branco

Autora: Elizabete Possidente

Muito bom começarmos o ano falando sobre Saúde mental. Isto porque a virada do ano pode causar muita ansiedade pela cobrança de metas e medo de repetir fracassos.

Assista o vídeo em que explico melhor sobre a importância da campanha Janeiro Branco e do tema desse ano.

Além de comentar algumas dicas que acredito contribuírem para alcançar a saúde mental.

Como os Pais Podem Aconselhar Os Filhos Em Relação ao Sexting?

Autora: Elizabete Possidente


É importante que os pais mantenham uma relação de confiança e de conversa com os filhos. Precisam esclarecer o que é e todos os perigos que o sexting oferece.
O ideal é que essas Informacoes sejam passadas antes das primeiras trocas de mensagens indevidas, como uma prevenção.
Caso isso não seja mais possível, os pais precisam falar sobre os perigos dessas ações, devem não perderem a cabeça para que o jovem perceba que vocês estão disponíveis para ajudar caso esteja passando por alguma ameaça. Muitas vezes, por medo se serem castigados, os adolescentes escondem os fatos dos pais.
Segue algumas dicas para essa conversa:

  • Não espere que aconteça um incidente desse para a dialogar sobre o assunto sexting, sexo e sexualidade.
  • Estabeleça regras para o uso de eletrônicos;
  • Mostre os perigos e as consequências do envio de conteúdos sexuais;
  • Coloque-se se à disposição para tirar dúvidas e a novas conversas;
  • Oriente a excluir imagens sexuais caso receba esse conteúdo de terceiros. 
  • Se o seu filho foi forçado a enviar conteúdo sexual para um adulto, busque a polícia.
  • Se o seu filho fez sexting por vontade própria alerte sobre os perigos e consequências.
  • Busque ajuda de uma equipe de saúde mental para orientar o jovem e aos pais de como lidarem com essa situação é de grande importância.

Sexting: O Que É e Quais São Os Riscos Para os Jovens

Autora: Elizabete Possidente

Sexting é o ato de usar redes sociais, aplicativos e whatsapps para produzir e compartilhar imagens de nudez e sexo. Envolve mensagens de texto com convites e insinuações sexuais para amigos , pretendentes e namorados.

Quando se pergunta aos adolescentes sobre sexting, nem sempre eles conhecem ou usam essa palavra. É a junção da palavra sex (sexo) + texting (torpedo), surgiu quando a Internet nem era 3G e as pessoas enviavam mensagens de texto por sms de caráter erótico, hoje as mensagem contém fotos e vídeos.

Mandar mensagens como forma de comunicação passou a ser uma forma rápida, barata e é muito comum entre os brasileiros. Isso passa a contribuir pela banalização do sexting.

Os jovens não percebem que se não tomarem certos cuidados podem esses vídeos serem divulgados nas redes sociais, em outros grupos e até em sites de pornografia.

Em abril de 2018 houve um estudo publicado no Jama Pediatrics sobre sexting. Mostrou que 1 em cada 7 adolescentes menores de 18 anos já praticaram sexting e que 1 a cada 4 já receberam conteúdo erótico de algum conhecido. Nesse mesmo artigo foi comentado ser muito mais frequente em adolescentes mas já tinham crianças entre 10 a 12 anos praticando sexting.

Os jovens na maioria das vezes mandam essas mensagens para pessoas conhecidas. Entretanto, muitos acreditam que pessoas que conheceram na internet já podem ser consideradas conhecidas.

Ele não percebe que pode estar conversando com um pedófilo, traficante de pessoas ou um pervertido sexual, sem ter noção alguma do perigo.

Precisamos sempre alertar que não há controle nenhum sobre o que acontece com o conteúdo das mensagens após serem enviadas.

Outro risco é que a amizade virtual pode dar uma falsa sensação de confiança e acabar aceitando um encontro presencial, e surgir o risco de abuso sexual e estupro.

Muitos jovens são chantageados a participar da prática de sexting. Pessoas conhecidas ameaça a divulgar a foto no grupo da escola ou para os pais, em troca de manter a prática de mensagens de cunho erótico.

Precisamos educar os jovens sobre sexualidade e sexo. Sexo é uma das expressões da sexualidade já amadurecida que envolve um(a) parceiro(a) e que pode acontecer a partir do desenvolvimento da puberdade e com maturidade psicológica.

Já a sexualidade está presente em todo o desenvolvimento mas com características diferentes em cada fase da vida. A sexualidade na criança, por exemplo, é muito diferente da sexualidade no adulto.

É preciso ter consciência da importância de haver diálogo sobre sexualidade desde a infância, sem repressão, com esclarecimento e orientação.

“Janeiro Seco”: Benefícios de 1 Mês Sem Álcool

Autora: Elizabete Possidente

Janeiro é o período do ano que é marcado por planos e metas para a maioria das pessoas. Muitos tem preocupação com a saúde e planeja uma vida mais saudável, iniciar uma atividade física e ter uma dieta mais equilibrada. Com isso surgiu um movimento no Reino Unido chamado “Dry January” em 2013 e que já foi adotado por muitos outros países.  O “Janeiro Seco” é o incentivo de não consumir bebidas alcóolicas durante todo esse mês.

O consumo de bebida alcóolica aumentou muito em todo o mundo desde o início da pandemia. Segundo a OMS no Brasil houve um crescimento mais rápido que a média mundial, especialmente entre os mais jovens.

Ainda que o consumo de bebidas alcoólicas tenha aumentado ao longo dos últimos dois anos, o projeto “Dry January” tem efeitos no longo prazo.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Britânico demonstrou que após a Campanha, 7 entre 10 pessoas diminuíram a ingesta de bebida alcóolica, e ¼ das pessoas que bebiam em níveis “prejudiciais” mudavam para a categoria de “baixo risco” após Campanha.

Não será de um dia para outro que o organismo sinta o benefício de “sem  álcool”, pois, sabemos que o álcool permanece em torno de 72 horas no organismo.  

O sucesso da Campanha está associado a percepção pelo próprio indivíduo do impacto positivo no seu bem-estar. Os participantes percebem melhora na qualidade do sono, na disposição para atividade física e maior performance, melhora na concentração, no humor, na imunidade, no funcionamento do intestino e na sensação de bem-estar físico e mental. Também tem impacto positivo na estética por levar a perda de gordura, melhora na queda de cabelo, da pele e na redução de celulite.

O governo britânico percebeu que havia uma melhora na qualidade de saúde observados nos atendimentos a comunidade. Resolveu incentivar ainda mais a Campanha que lançou um aplicativo chamada “Try Dry” para os participantes. Através desse aplicativo há um monitoramento do consumo de álcool, definindo metas individuais e oferecendo informações sobre calorias e economia de dinheiro como estímulo a adotar medidas na redução ou suspensão de ingesta alcóolica durante todo o ano.

Recentemente o Instituto Britânico publicou que os participantes da Campanha Janeiro Seco notaram diversos benefícios nas finanças e na saúde física e mental, tais como:

  • 88% economizaram dinheiro que seria gasto em bebidas.
  • 82% relataram ter maior consciência do prejuízo que o álcool tinha em suas vidas.
  • 80% passaram a ter maior controle na quantidade da ingesta alcoólica.
  • 93% se sentiram realizados por conseguirem um mês sem álcool, aumentando a autoestima.
  • 76% conseguiram entender o motivo que faziam o beber e assim podem criar estratégias para proteger desse mal hábito.
  • 71% entenderam que podem se divertir sem álcool.
  • 58% perderam peso.
  • 57% notaram melhora na concentração
  • 54% notaram melhora na pele.

A grande maioria dos participantes relataram que se sentiram mais seguros a tomar decisões se vale a pena beber ou não e ter controle no tipo de bebida e na quantidade.

Recomendo a todos escolherem um mês para adotarem essa campanha de não ingerir bebida alcoólica. Substitua por sucos, chás gelados e drinks sem álcool. Tem muitas receitas de drinks gostosos e lindos na internet. Vamos cuidar da nossa saúde, pois, merecemos uma qualidade de vida melhor.

Janeiro Branco – A vida Pede Equilíbrio

Autora: Elizabete Possidente

A campanha Janeiro Branco de 2023 tem como tema “A vida pede equilíbrio”. O objetivo é alertar para os cuidados com a saúde mental que precisam de equilíbrio nas atividades do cotidiano.

A pessoa equilibrada emocionalmente é capaz de lidar melhor com as adversidades da vida, o estresse, a ansiedade e é mais segura para tomada de decisões. Ou seja, os problemas continuarão ocorrendo porque são inerentes a vida, mas a pessoa desenvolve habilidades para enfrentar as dificuldades.

O que seria ter saúde mental? É a capacidade de se manter equilibrado emocionalmente nas diversas esferas da vida, tais como via profissional ou acadêmica, vida social, vida familiar e estar bem consigo mesmo. Isso tudo mesmo diante das dificuldades e desafios que a vida nos impõe de forma inesperada. Ou seja, saúde mental não é apenas ausência de doença mental.

A maioria das doenças psiquiátricas têm causas multifatoriais, ou seja, são ocasionadas por diversos fatores. Tem fatores genéticos, personalidade, estressores e habituar a vida de forma desequilibrada como influenciadores para doenças mentais.

A forma como a pessoa está levando a sua vida pode amenizar ou até prevenir diversos sintomas mentais, tais como, ansiedade, insônia, depressão e ataque de pânico.

Conheça e adote algumas práticas que contribuem para melhora da qualidade de vida e promove a saúde mental.

  • Reserve um tempo para si mesmo todos os dias.
  • Faça da atividade física um hábito
  • Mantenha uma dieta saudável
  • Mantenha uma boa hidratação
  • Mantenha uma boa qualidade de sono
  • Reduza exposição excessiva as redes sociais
  • Estimule a cognição
  • Evite automedicação ou abuso de ansiolíticos
  • Aprenda com os seus erros
  • Estabeleça metas na vida
  • Afaste de situações que te geram emoções desagradáveis, quando possível
  • Valorize a sua vida social e o tempo em família
  • Evite ingesta de álcool e drogas  
  • Invista numa psicoterapia para autoconhecimento   
  • Se tem queixas de doença mental busque um especialista
  • Se você tem um diagnóstico de doença psiquiátrica, mantenha a regularidade das consultas médicas

Acione essas medidas no seu dia a dia. Afinal, equilíbrio é um investimento bom para todos.  

Síndrome do Final de Ano

Autora: Elizabete Possidente

Em todo consultório de Psiquiatria no mês de dezembro há muito trabalho. São muitos atendimentos de 1ª vez ou recidivas. Nesse período começam os usuais anúncios de fim-de-ano, que estimulam o conhecido “balanço do ano passado” e promessas de mudanças na vida para o próximo ano. São revividas várias sensações negativas que pensávamos estivessem guardadas no fundo do nosso baú de recordações, mas retornam com o Natal.

O Natal também reacende diversos problemas que a pessoa tentou esconder durante o ano. Muitos conflitos com pais, filhos, sogros, cunhados e outros familiares, com quem invariavelmente temos contato no Natal. Problemas familiares que já existiam e que não foram resolvidos durante o ano ressurgem nesse momento: as desavenças e vaidades pessoais, problemas financeiros são reforçados. No Natal normalmente lembramos de pessoas queridas já falecidas. Vivemos esse luto reforçado por saudades dos momentos felizes. Mesmo não passando o Natal conosco todas as propagandas, outdoors, programas de televisão e conversas com amigos nos remetem às lembranças. Este ano ainda podemos acrescentar motivos relacionados a divisão política, que nunca foi tão forte no nosso país e dentro da família.
No paralelo desses sentimentos somos envolvidos em redes sociais que mostram festas de finais de ano perfeitas e compras, que soam como uma violência para a pessoa que não está vivendo esse clima. Muitos então passam a se sentir fragilizados, vem a angústia, cefaleia, ansiedade, náuseas, dores abdominais e insônia. Muitos passam a comer em excesso, abusar da ingesta de álcool, comprar em excesso para tentar preencher algum sentimento vazio e desperdiçar muito tempo nas redes sociais.
Chega o final de ano, onde se espera a reavaliação do ano através de uma reflexão pessoal. Começam os questionamentos: quem não faz bem ao seu convívio, mesmo que não queira ter essa revelação. Muitos que já não estavam tão bem assim passam por emoções desagradáveis nesse período, é como se você guardasse todas as emoções, em “gavetas de bagunça”, que vemos em várias casas. Não sabemos o que fazer com aquele pensamento e enfiamos na tal “gaveta”. Parece que “a casa está arrumada”, mas na verdade a “bagunça” só foi camuflada.
É comum um sentimento de estranheza, que erradamente interpretamos como fracasso. Você pode não estar feliz, mas não será um “perdedor”. É como num dia de sol, onde todos curtem uma piscina ou praia, mas você pode não estar nesse clima e é perfeitamente normal preferir outra atividade.
Faça uma reflexão para identificar e entender seus conflitos emocionais e tentar chegar à resolução. Na correria do dia a dia é comum as pessoas não se permitirem parar e pensar nos seus problemas. É como se não conseguisse tempo para arrumar os armários e fosse colocando o que não sabe a utilidade numa gaveta ou prateleira “da bagunça”. Com essa atitude, a casa parece estar bem arrumada, mas vai se acumulando de entulhos e objetos inúteis. Os “entulhos” surgem nessa fase do ano e muitas vezes são novamente mascarados por consumo excessivo, encontros sociais diversos e aumento da ingesta alcoólica e de guloseimas. No final do ano, costumamos abrir a “gaveta” e espalhar a “bagunça” pela nossa vida.
Aproveite essa fase para “arrumar a gaveta”, colocando o passado a limpo, revisando atitudes e revendo pessoas e situações que merecem ser valorizadas ou resolvidas. Valorize mais os aspectos psíquicos porque a virada do ano cobra novas metas e medo de repetir alguns dos fracassos e frustrações passadas.

Veja no O Globo:
https://oglobo.globo.com/saude/noticia/2022/12/sindrome-do-final-de-ano-casos-de-depressao-e-ansiedade-crescem-perto-da-virada.ghtml

Por que Está em Falta Diversos Medicamentos nas Farmácias?

Autora: Elizabete Possidente

Nos últimos meses tem faltado diversos medicamentos nas farmácias. Essa falta é consequência do desabastecimento que vem afetando todo o país.

Segundo um levantamento do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, diversos municípios relataram falta de mais de 40 medicamentos.

Essa escassez afeta não apenas as farmácias mas também os hospitais e as unidades de emergência. No momento não tem dipirona injetável, por exemplo, em todo o país.

A justificativa está no desabastecimento da falta de insumo farmacêutico ativo (IFA) que é o principal ingrediente de um remédio. Sem ele, é como se o medicamento fosse apenas uma junção de várias substâncias sem efeito nenhum.

O Brasil produz apenas 5% do IFA utilizado por aqui. O restante é importado, sendo que 68% vem da China. Somos também dependente da importação de diversos incipientes medicamentosos (“ingredientes”) e materiais para a embalagem, como blister, tinta, frascos e conta-gotas.

Considerando os lockdowns em Xangai no início deste ano que levaram a uma elevação do do preço da matéria-prima em média 200%. A guerra entre Rússia e Ucrânia prejudicou a logística, que sofreu um aumento de 300%.

Para piorar o cenário, há ainda o aumento da demanda por diversos medicamentos pela covid-19 e suas sequelas, o retorno presencial às atividades e as mudanças de tempo aumentou o surgimento de diversas doenças.

A crise causada pela pandemia da covid-19, a guerra entre a Rússia e a Ucrânia, alta demanda por medicamentos e as indústrias precisando produzir tudo em uma quantidade grande na mesma época do ano para o mundo todo são os responsáveis pelas prateleiras vazias nas farmácias. Ainda deve demorar um tempo para esse fluxo se normalize no Brasil e no mundo.

A Boa Mãe Se Torna Desnecessária Com O Tempo.

Decidi trazer um texto bastante interessante para reflexão sobre a superproteção dos pais com as crianças.
É comum que o instinto dos pais tentam proteger seus filhotes. Até que ponto isso é bacana? Pois, a superproteção impede que a criança desenvolva independência e resiliência.
O texto abaixo leva a uma reflexão mais minuciosa sobre esse tema.

A mãe desnecessária – por Márcia Neder

A boa mãe é aquela que vai se tornando desnecessária com o passar do tempo. Várias vezes ouvi de um amigo psicanalista essa frase, e ela sempre me soou estranha. Chegou a hora de reprimir de vez o impulso natural materno de querer colocar a cria embaixo da asa,protegida de todos os erros, tristezas e perigos. Uma batalha hercúlea, confesso. Quando começo a esmorecer na luta para controlar a super-mãe que todas temos dentro de nós, lembro logo da frase, hoje absolutamente clara.
Se eu fiz o meu trabalho direito, tenho que me tornar desnecessária.
Antes que alguma mãe apressada me acuse de desamor, explico o que significa isso.
Ser “desnecessária” é não deixar que o amor incondicional de
mãe, que sempre existirá, provoque vício e dependência nos filhos,
como uma droga, a ponto de eles não conseguirem ser autônomos,
confiantes e independentes. Prontos para traçar seu rumo, fazer suas escolhas, superar suas frustrações e cometer os próprios erros também. A cada fase da vida, vamos cortando e refazendo o cordão umbilical. A cada nova fase, uma nova perda é um novo ganho, para os dois lados, mãe e filho.
Porque o amor é um processo de libertação permanente e esse
vínculo não pára de se transformar ao longo da vida. Até o dia em
que os filhos se tornam adultos, constituem a própria família e
recomeçam o ciclo. O que eles precisam é ter certeza de que estamos lá, firmes, na concordância ou na divergência, no sucesso ou no fracasso, com o peito aberto para o aconchego, o abraço apertado, o conforto nas horas difíceis.
Pai e mãe – solidários – criam filhos para serem livres. Esse é o
maior desafio e a principal missão.
Ao aprendermos a ser “desnecessários”, nos transformamos em Porto Seguro para quando eles decidirem atracar.
“Dê a quem você Ama :

  • Asas para voar…
  • Raízes para voltar…
  • Motivos para ficar… “

Balenciaga É Acusada de Incitar á Pedofilia

Autora: Elizabete Possidente

A marca de luxo Balenciaga foi acusada de incitar a pedofilia em sua recente campanha de primavera nas redes sociais.  

A grife espanhola mostra fotos de crianças segurando pelúcias vestidos com roupas comuns nas práticas sadomasoquistas. 

A marca Balenziaga já foi alvo de outras polêmicas anteriormente. Entretanto, dessa vez as acusações são extremamente graves: incitação à pedofilia e abuso infantil. 

Com toda a razão, houve uma série de publicações indignadas por mostrar crianças com bolsas de ursos de pelúcias com acessórios de temática sadomasoquistas, além de outros detalhes, como livros e documentos da Suprema Corte que naturalizam a pornografia infantil.

Uma das fotos contém o livro do artista Michael Borremans, quem tem como trabalho mais famoso a obra “Fire From The Sun”, onde crianças estão nuas em uma espécie de ritual.

Em outra foto há um documento da Suprema Corte dos Estados Unidos, que é  uma decisão que reverte uma parte significativa da Lei de Prevenção de Pornografia Infantil de 1996, com a justifica da liberdade de expressão.

A marca tirou a campanha do ar e apagou todas as publicações do seu Instagram.

Não podemos achar isso normal. Vocês não acham?

Um Monte de Exames e um Diagnóstico Absurdo

Autora: Elizabete Possidente


É crescente o número de exames desnecessário a pacientes. O próprio Conselho Regional de Medicina refere que vem aumentando o número de sindicância referentes á solicitação excessiva de exames. Exemplos são as solicitações relacionados a medicina ortomolecular, antianging, antroposófica e de performance esportiva.
Todo dia chega pacientes com uma pilha de exames e de formulações que foram prescritas após realizar algum exame que detectou uma deficiência.
Nesse artigo em anexo o autor faz as críticas sobre esse excesso de exames e compara a falácia do atirador do Texas.
Leia para compreender a minha indignação diante de alguns casos que vejo há minha clínica.

CREMERJ Normatiza a Validade da Solicitação de Exames Complementares no Rio de Janeiro

Autora: Elizabete Possidente

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro – CREMERJ, ressalta que nenhum médico pode realizar algum pedido de exame sem a data. Refere que o descumprimento dessa norma acarretará numa convocação a prestar esclarecimentos no CREMERJ.

Segue abaixo a resolução na íntegra.

A resolução CREMERJ nº344/2022 publicado no Diário Oficial da União em 1 de julho de 2022 na seção 1 na página 307 resolve:

Art. 1º Normatizar a validade das solicitações de exames complementares no Estado do Rio de Janeiro.

Art. 2º A critério do profissional médico, a depender das necessidades do paciente atendido, as solicitações de exames poderão ter validade de até 180 (cento e oitenta) dias, a contar da data de sua emissão.  

Parágrafo único. Quando o médico optar por estipular a validade, esta deverá ser consignada por extenso na solicitação de exame(Revogado Pela Resolução CREMERJ nº 338/2022)

Art. 4º Fica vedada a solicitação de exames sem data.

Art. 5º A presente Resolução passa a vigorar na data de sua publicação.

Resumindo o médico no Estado do Rio de Janeiro está proibido a pedir exames complementares sem data e os planos de saúde devem aceitar até o prazo de 180 (cento e oitenta ) dias, a menos que o médico deixou escrito que deva ser outro prazo de limite.

https://www.cremerj.org.br/resolucoes/exibe/resolucao/1502;jsessionid=DD669EB33DB32E4CDF442503B04AFF17

Nota de Esclarecimento da ABN Sobre a Matéria : “Cannabis: idoso tem reversão de sintomas do Alzheimer com óleo da planta”.

Autora: Elizabete Possidente e Giuliana Possidente

A Academia Brasileira de Neurologia em nota de esclarecimento (anexo ao final) se manifestou em relação à matéria publicada por alguns veículos de imprensa em 26/09/2022, intitulada “Cannabis: idoso tem reversão de sintomas do Alzheimer com óleo da planta”.

A notícia relatava um caso de um paciente de 78 anos diagnosticado com doença de

Alzheimer e que teve seus sintomas supostamente revertidos, com “melhoras no humor, sono e memória, além de a doença se manter estável” após iniciar um experimento com extrato composto por

THC (Tetrahidrocanabinol) e CBD (Canabidiol). Essa mesma reportagem citava que havia mais de 28 casos com resultados semelhantes após 6 meses de tratamento.

Entretanto a matéria não explica que não se pode falar de eficácia ou de não eficácia de tratamento apenas com relatos de casos. É necessário ocorrer diversos ensaios clínicos controlados com placebo antes de se obter conclusões sobre a eficácia ou não de tratamento. É imperativo utilizar dois grupos de pacientes que têm a patologia. Um grupo é selecionado por sorteio para receber o medicamento enquanto o outro recebe um placebo (produto sem efeito no tratamento). Nem os pacientes nem os médicos podem saber quem está tomando o medicamento em teste ou o placebo. Os pacientes e os médicos só sabem quem tomou o medicamento apenas após o fim do estudo (seis meses, um ano ou mais).

Se não for dessa forma os resultados podem ser apenas uma coincidência. No artigo também não se fala de possíveis efeitos colaterais e não sabemos se houve ou não.

De qualquer forma, é uma irresponsabilidade fazer uma chamada dessa na mídia sem ter a comprovação científica de eficácia. Pode ter sido apenas um mero acaso.

O uso de canabinóides para o tratamento de condições neurológicas é atualmente alvo de intensa

pesquisa, com resultados não uniformes até o momento.

Especialistas da Academia Brasileira de Neurologia no período científico Arquivos de Neuropsiquiatria (Brucki SMD et al.Canabinoids in Neurology. Arq. Neuro-Psiquiatr. 79 (04) • Apr 2021) publicaram em 2021 um painel que refere a ausência de evidência científica que apoia o uso do THC ou do CBD como tratamento de sintomas cognitivos ou neuropsiquiátricos da doença de Alzheimer.

 Todos estamos na expectativa de que surjam pesquisas que obedeçam o rigor metodológico com grandes amostras para que tenhamos conclusões.

https://www.abneuro.org.br/2022/09/28/

Os Preocupantes Possíveis Efeitos Colaterais do Mal Uso do Zolpidem

Autora: Elizabete Possidente

A reportagem vinculada no programa Fantástico da Rede Globo sobre o zolpidem não é uma novidade para os médicos prescritores. O FDA já tinha publicado há alguns anos um alerta sobre os medicamentos para dormir zolpidem, eszoplicone e zaleplon que podem provocar comportamentos bizarros quando mal utilizado.

Se pesquisar nas redes sociais vão encontrar diversos relatos de pessoas que tomaram uma dessas pílulas para dormir e que fizeram coisas estranhas. Algumas falam de ter ido à cozinha para comer, ligado para amigos, postados coisas na internet, feito compras e até saído de casa, sem lembrança alguma do feito. Outros já referiram ter alucinações visuais em uso dessas substâncias.

Antes de condenarem esse medicamento entenda que a substância é segura desde que administrada corretamente com a recomendação médica. O remédio precisa ser utilizado na cama, sem nenhum outro estímulo. Como digo aos meus pacientes, apaga a luz, sem eletrônicos e aí sim pode-se usar a pílula.

Aqui no Brasil temos na forma sublingual e oral na dosagem de 5 mg e 10 mg com efeito mais rápido, ou seja, aqueles que tem dificuldade apenas para iniciar o sono. Também temos na dosagem de 6,25 mg e 12,5 mg com a liberação prolongada para aqueles que precisam do efeito durante toda a noite, sofrem com diversos despertares noturnos ou acordam no meio da madrugada. Portanto, o zolpidem é destinado ao tratamento de insônia ocasional, transitória ou crônica, tanto para aqueles que tem dificuldade para adormecer ou para aquelas que tem dificuldade de permanecer dormindo.

O consumo do zolpidem sem a indicação e orientação médica pode provocar tolerância, dependência ou essas situações de sonambulismo ou amnésia.

É muito chocante sabermos que muitas farmácias vendem sem receita ou dispensam um número maior de caixas do que o prescrito pelo médico assistente.  Isso mesmo com o conhecimento de se tratar de uma medicação de receita controlada. Assim como também numa rápida pesquisa nas redes sociais vemos relatos de mal uso para obter efeito alucinógeno, o “barato”.

Para a maioria das pessoas no nosso país dormir a noite toda é considerada um artigo de luxo. A insônia é uma queixa comum encontrado na maioria dos consultórios médicos.  

Segundo a Associação Brasileira de Sono (ABS) cerca de 73 milhões de pessoas sofrem de insônia no país.  

Se você sofre de insônia não deve ter medo de buscar o tratamento. Não dormir bem aumenta a chance de doenças cardiovasculares, obesidade, dislipidemia, hipertensão arterial, ansiedade, fadiga, desatenção, envelhecimento precoce, baixa imunidade, depressão e risco de morte. Além de aumentar a chance de acidentes domésticos, automobilísticos e de trabalho.

Deve-se buscar o médico para realizar o diagnóstico e a indicação do melhor tratamento para a sua condição clínica. O profissional avalia os aspectos emocionais, a história de vida e de hábitos que possam contribuir para a insônia.

Sempre a primeira linha de tratamento é a Terapia cognitivo comportamental que envolve, medidas de higienização do sono, técnicas de relaxamento e de controle de estímulos que mantém a vigília.

Nos casos sem resposta a essas medidas é indicado o tratamento farmacológico. É imperativo avaliar se a insônia não está sendo sintoma de uma doença psiquiátrica, tais como depressão, ansiedade, TDAH e bipolaridade. Nesses casos é necessário iniciar o tratamento da patologia para melhora da insônia.   Como se fosse uma febre que faz parte de um quadro de pneumonia, por exemplo. Nesse caso não adianta ficar utilizando apenas o antitérmico porque precisará tratar a pneumonia com antibiótico.

Se você sofre de insônia agende o médico para a avaliação da insônia e já invista na higienização do sono.   Se após essas medidas o seu médico recomendar um medicamento não tenha medo e tire as suas dúvidas diretamente com ele em consulta.

%d blogueiros gostam disto: