Terapia Cognitivo Comportamental – TCC


Este artigo, escrito em parceria com a neuropsicóloga Marcia Ferreira, fala sobre TCC e sua importância no tratamento de vários quadros e distúrbios.
A Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) é a abordagem psicoterápica que mais cresceu nos últimos anos junto com a Neurociência. Existem muitos estudos comprovando a sua eficácia através de abordagens clínicas com entrevistas semiestruturadas, questionários específicos e neuroimagem funcional.
A TCC foi criada em 1960 por Aaron T. Beck e desenvolvida com a ajuda de diversos psiquiatras e psicólogos da época. Ela se baseia na função cognitiva se responsabilizando pelo aspecto emocional e comportamental do indivíduo. 
Desde a Antiguidade até os tempos atuais, filósofos descreviam o indivíduo como decorrente do seu pensar (função cognitiva). Pesquisas demonstram a eficácia da terapia cognitiva comportamental na mudança das cognições de medo, depressão e ansiedade. Portanto, para muitos pacientes o tratamento ideal consiste na associação TCC e medicamentos específicos para sua patologia.
A Terapia Cognitivo comportamental é utilizada a curto prazo, geralmente por cerca de vinte sessões.  Quando existem diferentes comorbidades, situações de cronicidade ou dificuldade de compreensão da doença, é necessário estender esse projeto terapêutico por mais tempo. Sempre esse trabalho é feito em conjunto, neuropsicólogo e psiquiatra, para determinar a melhor estratégica para cada paciente, levando em consideração sua história de vida passada e atual, doença, estressores do meio, ausência ou presença de apoio familiar.
A TCC é basicamente trabalhar o aqui e o agora. Com isso, mais rápido o indivíduo alcança a sua qualidade de vida. É claro que mesmo enfatizando o momento atual a TCC não perde a perspectiva longitudinal do indivíduo. Para ajuda-lo e ter uma eficácia no presente é preciso também avaliar a primeira infância do paciente, histórico familiar, traumas, experiências positivas e negativas, educação, história de trabalho e influências sociais, para que possamos compreender melhor o paciente. Desse modo podemos planejar o tratamento mais adequado a esse indivíduo. 
O terapeuta de TCC é bem ativo nos atendimentos. Ele ajuda a estruturar a sessão, dá feedback da evolução e passa atividades a serem feitas dentro e fora da sessão, para que seja atingida mais rápido a melhora. Os pacientes também são orientados a todo o momento de como a TCC exercita a sua cognição e aprendem a utilizar essas técnicas no seu dia a dia. Ela trabalha o autoconhecimento, onde o paciente percebe e identifica os seus pensamentos disfuncionais.  Aprende a usar técnicas para a detecção e modificação de pensamentos que desencadeiam os sintomas patológicos, de medos, ansiedade, depressão, compulsões, raiva e outros.  

Se junte à conversa

2 comentários

  1. Mais um vez Doutora, tenho que parabeniza-la pela excelente matéria. Jamais tinha ouvido falar em Terapia Cognitiva Comportamental – TCC. Muito obrigado por mais um aprendizado. Enedino Augusto Felix > castelo…

    Curtir

  2. Muito bom! Parabéns, Dra Elizabete, pelo artigo. Acho que a TCC é a linha mais adequada para se trabalhar com pacientes psiquiátricos, nao? Abraços, Claudia.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: