Aumento do Suicídio no Rio de Janeiro

O suicídio é atualmente um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo. De acordo com a OMS, a cada 45 segundos uma pessoa morre por suicídio, sendo a segunda causa de morte entre os jovens. Mais de 2 mil pessoas se matam por dia e chama a atenção o aumento do número de suicídios na população acima de 70 anos.

Houve um aumento de 50% nos registros de suicídio entre 2010 e 2019, segundo a Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro. Esse número é assustador, representando um aumento importante nas mortes, especialmente em 2018 e 2019. De 2014 até hoje os grupos onde houve maior incidência de suicídio foram os homens (73%), solteiros (60%) e pessoas entre 20 e 39 anos.

O Coordenador de Vigilância e Promoção de Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES) revela que estressores como falta de oportunidades na vida profissional, desemprego pós formatura e grupos excluídos pelo preconceito (por exemplo LGPTQIAP+) influenciam no ato de suicídio.

Quando consultamos a última publicação realizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) o Brasil está na oitava colocação entre os países que mais registram morte por suicídio no mundo.  Esses relatórios sobre os registros de suicídios no Brasil e no mundo chegam com um atraso grande, dificultando ao acesso às informações sobre o real impacto da pandemia nas mortes por suicídio. Sabemos que houve no último ano grande impacto na saúde mental, isso confirmado pelo aumento do número no registro de violência doméstica e relatório divulgado pelo Google que demonstra que a busca pelo tema “ansiedade” aumentou cinco vezes no Brasil.

Nunca foi tão importante pensar que “Agir salva vidas”, slogan da Campanha do Setembro Amarelo realizada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). O objetivo da campanha é levar conhecimento de medidas que podem ser empregadas para evitar o suicídio, tais como:

– Falar sobre o tema morte por suicídio abertamente

– Sensibilizar a sociedade a acolher as pessoas

– Oferecer escuta e encaminhar ao tratamento essas pessoas

– Divulgar informações de onde buscar ajuda

– Informar que suicídio não é fazer drama ou querer chamar a atenção, mas uma doença psiquiátrica que tem tratamento; é preciso reduzir o estigma que envolve o tema.

Na maioria dos casos, as pessoas mostram mudanças de comportamento com os familiares, amigos e com profissionais de saúde. É importante ficar sempre atento a quem já tentou suicídio alguma vez ou possui história familiar de morte por suicídio.

As incertezas provocadas pela pandemia, o isolamento social, a impossibilidade de encontros com familiares e amigos, a mudança súbita de rotina, o número de mortes recentes e o impacto econômico causaram uma elevação do surgimento de doenças psiquiátricas em todas as idades. Sabemos também que cerca de 96,8% dos casos de suicídio estão

relacionados a doenças psiquiátricas e se tratadas podem evitar o pior.

É importante que todos participem dessa campanha. Não podemos ignorar que até 2019 tivemos mais de doze mil suicídios no Brasil e mais de um milhão de casos no mundo.
Se a ideia de se matar passa pela sua cabeça não deixe de buscar ajuda psiquiátrica ou da rede de apoio CVV, pelo telefone 188 ou pelo site www.cvv.org.br.

Publicado por Elizabete Possidente

Formou -se em Medicina em 1994. Foi médica residente do Instituto de Psiquiatria da UFRJ de 1995 a 1996. Defendeu Mestrado em 1997 a 1999 pelo Departamento de Psiquiatria do Instituto de Psiquiatria da UFRJ. Durante muitos anos foi supervisora de Psiquiatria pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro. Foi médica perita em Psiquiatria no Manicômio Heitor Carrilho pela Vara de Execuções Penais da Secretaria Estadual de Justiça. Foi médica Psiquiatra e perita em Psiquiatria pelo Ministério da Defesa no Hospital Central do Exército e pela Auditoria Militar. Foi médica Psiquiatra e chefe do serviço de Saúde Mental da Policlínica Newton Alves Cardoso. Tem diversos artigos publicados em revistas médicas. Diversos trabalhos publicados em congressos nacionais e internacionais. Está sempre se atualizando e participando de eventos médicos nacionais e internacionais em Psiquiatria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: