Autora: Elizabete Possidente e Giuliana Possidente

Hoje no jornal O Globo saiu uma reportagem com título “Ligados na Tomada: jovens buscam droga de TDAH para ter mais foco, uso traz riscos”. Vivemos um momento em que muitas pessoas apenas através do título já se sentem totalmente informadas pela reportagem e saem compartilhando com comentários que não condizem com a realidade e nem com o teor do artigo.  Considero isso bem perigoso.

A medicação Venvanse, que também existe no Brasil com o nome comercial Juneve, se trata de uma medicação segura e aprovada inclusive para crianças com TDAH, a partir dos seis anos de idade. É uma droga estimulante do sistema nervoso central (SNC), utilizada para tratamento de TDAH principalmente onde a causa dos sintomas é uma hipoativação do lobo pré-frontal.

A ANVISA autorizou a venda do Venvanse para uso pediátrico e adulto para pacientes diagnosticados com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade com controle médico, o que considero estar toda a chave da discussão. É um remédio “tarja preta”, que precisa de acompanhamento ambulatorial com intervalos determinados por seu psiquiatra ou neurologista. O laboratório que fabrica o Venvanse também conseguiu a aprovação para Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica (TCAP) em bula, para o Juneve.

O mal uso dessa substância, como o de qualquer medicamento, pode ocasionar malefícios para a saúde do indivíduo. As pessoas que usam medicamentos por conta própria ou prescritos por profissionais não familiarizados com a substância assumem um risco importante para a própria saúde física e mental. Existem estudos clínicos importantes com indicações muito bem definidas, para TDAH ou TCAP, mas não deveria ser utilizada para outros quadros sem comprovação científica clara, como por exemplo emagrecimento ou estimulante.

Atualmente há um grande interesse “concurseiros”, vestibulandos, empresários e trabalhadores da área de tecnologia e mercado financeiro, que não tem a doença neuropsiquiátrica. Como não conseguem a receita médica por não ser portador dessa patologia, eles buscam meios “alternativos”, como vendas ilegais pela internet.

Vemos muitos comentários na rede alardeando efeitos positivos de aumento de performance, energia e redução de apetite. Nenhum desses comentários citam que é necessária receita médica e acompanhamento profissional. Podemos lembrar de um tempo passado em que muitos acreditavam que a cocaína poderia ser inofensiva, por exemplo, hoje sabemos que não é bem assim.

Eu também observo um outro problema na venda desse medicamento, no próprio balcão das farmácias, aprovado pelo nosso governo atual. Com a situação da pandemia do Covid – 19 o Diretor-Presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) autorizou mudanças nas regras de prescrição e dispensação dos medicamentos controlados.  A medida foi determinada por meio da RDC 357/20, publicada no Diário Oficial da União (D.O.U.) de 24 de março de 2020 e foi renovada até maio de 2023. 

Uma das alterações é o aumento da quantidade máxima de medicamentos permitidos na venda numa receita de controle especial. Inicialmente foi autorizado que, para as receitas emitidas antes da publicação dessa RDC 357/20, quando dentro do prazo de validade, teria a farmácia a autorização de vender uma quantidade superior ao que foi prescrito pelo médico, seguindo a quantidade definida descrita numa tabela. Na prática como isso ocorre?

Se o médico dá uma receita para uma caixa de Venvanse, o balconista pode vender até 3 caixas desse medicamento com essa mesma receita. Ou seja, o médico especialista estipulou uma quantidade de medicamento, determinando o tempo em que o paciente deve retornar para avaliação, e esse tempo é triplicado pela farmácia, sem pensar nas consequências desse ato. Isso um aumento de dosagem por conta própria, o não retorno ao médico que deveria acompanhar a evolução do quadro e até repassar o medicamento para outros que não tem indicação para tomá-lo.  Sem falar na facilidade que comerciantes de má fé passam a ter para um “lucro extra” em suas vendas. Agora supondo que você não aceita a oferta de comprar as três caixas, compra apenas uma caixa porque você entendeu que a medicação faz parte de um tratamento médico e que rigorosamente deve ter avaliação no tempo recomendado pelo profissional. Caso você não assine no verso e declare por escrito que levou apenas uma caixa, está aberta a possibilidade de venda de duas caixas para alguém que não possui a receita médica.

Já atendi pacientes que faziam uso por conta própria de uma quantidade absurda dessa medicação, sem nunca ter sido prescrito por um médico. Eles farmácias ou determinados balconistas de referência para obterem medicamentos que precisam de receita controlada.

O Venvanse é um medicamento bastante seguro, quando bem indicado, para as patologias as quais essa medicação foi autorizada pelos estudos clínicos em todo o mundo.

Segue abaixo o link da reportagem do O Globo:

https://oglobo.globo.com/saude/medicina/noticia/2022/07/venvanse-cresce-o-consumo-do-remedio-entre-jovens-para-melhorar-a-concentracao-entenda-os-graves-riscos-a-saude.ghtml

Publicado por Elizabete Possidente

Formou -se em Medicina em 1994. Foi médica residente do Instituto de Psiquiatria da UFRJ de 1995 a 1996. Defendeu Mestrado em 1997 a 1999 pelo Departamento de Psiquiatria do Instituto de Psiquiatria da UFRJ. Durante muitos anos foi supervisora de Psiquiatria pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro. Foi médica perita em Psiquiatria no Manicômio Heitor Carrilho pela Vara de Execuções Penais da Secretaria Estadual de Justiça. Foi médica Psiquiatra e perita em Psiquiatria pelo Ministério da Defesa no Hospital Central do Exército e pela Auditoria Militar. Foi médica Psiquiatra e chefe do serviço de Saúde Mental da Policlínica Newton Alves Cardoso. Tem diversos artigos publicados em revistas médicas. Diversos trabalhos publicados em congressos nacionais e internacionais. Está sempre se atualizando e participando de eventos médicos nacionais e internacionais em Psiquiatria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: