TDAH é uma condição médica conhecida por afetar entre 3 e 5% das crianças em idade escolar, tornando-se um dos distúrbios mais comuns em crianças. Ele afeta as partes do cérebro responsáveis pela concentração, atenção e comportamento impulsivo gerando impulsividade, hiperatividade e dificuldade de concentração.

Seus comportamentos, muitas vezes, se mostram mais extremos do que a simples “falta de educação”.  Se não tratados, a criança pode acabar por ter uma pior performance na escola, em casa e outros cenários. Essas crianças sem o acompanhamento adequado, provavelmente desenvolverão dificuldade de criar amizades com outros crianças.

O tratamento deve ser sempre multidisciplinar com psicólogos, psiquiatras, educadores e os pais. O acompanhamento deve ser regular e deve ser realizado por profissionais de sua confiança que sejam capacitados em distúrbios de comportamento infantil.

O tratamento medicamentoso é feito através de uma substância que age sobre os compostos químicos do cérebro que entregam mensagens e ajudam a controlar o comportamento. Esse ato baseia-se apenas na correção do desequilíbrio químico responsável pelo TDAH.

O medicamento deve ser tomado diariamente pela manhã de forma ininterrupta. É recomendado que seja feito perto do café da manhã, pois sua medicação é mais bem absorvida com alimentos e seus benefícios persistirão por mais tempo. Então, o desjejum torna-se uma importante e indispensável refeição para as crianças.

Como toda medicação, efeitos colaterais são possíveis de ocorrer, sendo os mais comuns irritabilidade e insônia. Assim que percebidos devem ser relatados para seu médico para ajuste do esquema terapêutico empregado. Importante lembrar que todas as medicações utilizadas têm segurança e aprovação pela Organização mundial de saúde e pela ANVISA. Então, não precisa ter medo de oferecer aos seus filhos desde que mantenham um acompanhamento regular e constante.

Se seu filho, tiver dificuldades em engolir suas cápsulas, podem ser abertas e seu conteúdo pode ser misturado com líquidos ou alimentos semissólidos como suco de laranja ou iogurtes. A cápsula não pode ser mastigada, pois compromete a absorção adequada de seu princípio ativo.

Publicado por Elizabete Possidente

Formou -se em Medicina em 1994. Foi médica residente do Instituto de Psiquiatria da UFRJ de 1995 a 1996. Defendeu Mestrado em 1997 a 1999 pelo Departamento de Psiquiatria do Instituto de Psiquiatria da UFRJ. Durante muitos anos foi supervisora de Psiquiatria pela Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro. Foi médica perita em Psiquiatria no Manicômio Heitor Carrilho pela Vara de Execuções Penais da Secretaria Estadual de Justiça. Foi médica Psiquiatra e perita em Psiquiatria pelo Ministério da Defesa no Hospital Central do Exército e pela Auditoria Militar. Foi médica Psiquiatra e chefe do serviço de Saúde Mental da Policlínica Newton Alves Cardoso. Tem diversos artigos publicados em revistas médicas. Diversos trabalhos publicados em congressos nacionais e internacionais. Está sempre se atualizando e participando de eventos médicos nacionais e internacionais em Psiquiatria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: